skip to Main Content

Dermatite Atópica em Crianças

Dermatite Atópica, Eczema Atópico ou simplesmente Eczema é a doença crônica da pele mais comum em crianças. É caracterizada por surtos de coceira multifocal aguda sobre uma pele cronicamente seca.

A Dermatite Atópica em crianças

A Dermatite Atópica ocorre principalmente em bebês, sendo que quase metade dos casos se inicia dentro dos primeiros 6 meses de vida.

Embora muitas crianças experimentem a remissão da doença durante a adolescência, aproximadamente 20% delas irão continuar a ser afetadas na idade adulta. Ainda, um grupo de pacientes terá seu primeiro episódio de Dermatite Atópica diagnosticado na vida adulta.

Como é o eczema?

O formato das lesões de Dermatite Atópica é similar à de outras dermatites. Inclui avermelhamento, formação de vesículas e pápulas, escoriação, secreção, crostas, descamação e engrossamento local da pele.

A localização das lesões muda durante a vida, variando desde predominante facial na infancia, áreas das pregas na criança e superficies extensoras das extremidades na adolescência.

A associação com outras doenças

É necessário considerar a variedade de características associadas com a Dermatite Atópica. Havendo ainda o existencia variável de doenças alérgicas e imunodeficiências primárias concomitantes.

A perpetuação da inflamação na Dermatite Atópica é associada com asma, rinite alérgica, alergias alimentares e imunodeficiências primárias. Fatores genéticos, dietéticos, ambientais e infecciosos promovem a condição e podem desencadear recaídas e exacerbações.

A associação de Dermatite Atópica com asma e rinite alérgica é tradicionalmente referida como a Tríade Atópica.

Deve ser lembrado o impacto variado que podem ter os fatores psíquicos sobre os sintomas, mas, embora influentes nunca são determinantes.

Recentemente, tem-se descrito que pacientes com Dermatite Atópica apresentam um risco maior de desenvolver transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), além das correlações antes descritas.

Como encarar a Dermatite Atópica

Ainda, a chave para a terapia bem sucedida é a educação do paciente e seus cuidadores nos princípios do cuidado geral da pele.

Estratégias tradicionais de tratamento têm se concentrado na prevenção de fatores gatilhos e intervenção farmacológica durante as erupções. No entanto, a compreensão da inflamação subclínica, disfunção da barreira epidérmica e anormalidades imunológicas, exigem à aplicação de terapia de manutenção ou prevenção para manter a doença sob controle e quebrar o ciclo de crises repetidas. Afinal, elas parecem conspirar para provocar e perpetuar as lesões.

Avanços no conhecimento dos mecanismos subjacentes da Dermatite Atópica tem resultado em melhores opções terapêuticas como o tratamento livre de corticosteroides. Em consequência, a prevenção das crises e proteção da barreira de pele sem o uso de corticoides representam mudanças recentes na gestão e prevenção da Dermatite Atópica.

Considerados todos os fatores em conjunto, a Dermatite Atópica cada vez mais tem sido reconhecida como uma doença heterogênea. Dessa forma, todos os fatores deverão ser considerados para o sucesso no gerenciamento do paciente e da patologia.

Dr. Javier Ricardo Carbajal Lizárraga.
Especialista em Alergia e Imunologia.
Crianças e adultos.
RQE 21798. CRM/SP 92607.

 

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos!

This Post Has 0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
×Close search
Pesquisar