skip to Main Content

Autismo Além dos Rótulos: Explorando a Neurociência e Imunologia por Trás do TEA

O autismo, ou Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), é uma condição complexa do neurodesenvolvimento infantil caracterizada por deficiências na interação social, comunicação e padrões restritos de comportamento. Apesar de ser diagnosticado psiquiatricamente, evidências crescentes sugerem uma sólida base biológica subjacente a esses sintomas; ao menos para um subgrupo de pacientes.

Estudos recentes que examinaram tecidos cerebrais pós-mortem de crianças com TEA revelaram consistentes evidências de neuroinflamação ou encefalite em várias regiões cerebrais, independentemente da idade da criança. Esses achados destacam a persistência de sinais de neuroinflamação ou encefalite ao longo do tempo, enfatizando a amplitude da condição e sua potencial relevância para o diagnóstico e tratamento.A encefalite, caracterizada pela inflamação cerebral, é uma condição médica séria que, surpreendentemente, muitas vezes é subdiagnosticada em crianças com diagnóstico de TEA. Isso pode ser atribuído, em parte, a equívocos históricos que erroneamente rotularam o autismo como um transtorno exclusivamente psiquiátrico ou à falta do reconhecimento de trastornos imunológicos e neuroinflamatórios, por parte dos responsáveis do diagnóstico. É importante considerar a possibilidade de que alguns casos de autismo possam ser, na verdade, encefalites.

Reconhecer a etiologia orgânica quando associada a um provável quadro de TEA é essencial, transcende a mera categorização como um transtorno psiquiátrico. Compreender e tratar os sintomas físicos, como a neuroinflamação, é fundamental para fornecer intervenções direcionadas e eficazes. Um diagnóstico preciso de encefalite em crianças com diagnósticos prévios de TEA pode levar a tratamentos mais específicos e imediatos, potencialmente melhorando sua qualidade de vida e reduzindo os sintomas associados ao TEA.À medida que continuamos a explorar a complexidade do TEA e os fenómenos imunológicos, é crucial aplicar as descobertas da neurociência e Imunologia na prática clínica. Isso impulsionará o desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas, trazendo esperança e progresso para aqueles afetados pelo autismo quando aplicado como um rótulo psiquiátrico.

Dr. Javier Ricardo Carbajal Lizárraga.
Especialista em Alergia e Imunologia.
Crianças e adultos.
RQE 21798. CRM/SP 92607.
Alergista e Imunologista pela USP e Sociedade Brasileira de Alergia e Imunologia. Membro da Sociedade Brasileira de Alergia e Imunologia ASBAI. Membro da Academia Europeia de Alergia e Imunologia Clínica EAACI. Membro da Sociedad Latinoamericana de Inmunodeficiencias LASID. Membro da Clinical Immunology Society CIS.

 

Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos!

This Post Has 2 Comments

    1. Hola Norha. Muchas gracias por contactarnos. Aunque no somos especialistas en Autismo, mas bien en Inmunologías clínica, seria un privilégio para nosotros poder a ayudar a esclarecer sus dudas. Como debe haber notado, nos encanta hablar de inmunología. Aguardamos sus preguntas.
      Fuerte abrazo,
      Dr. Javier Carbajal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top
×Close search
Pesquisar